Páginas

terça-feira, 19 de junho de 2007

Homem é tudo palhaço, mas picadeiro vazio nem pensar

Como todos sabem, esse é o meu lema, mas apesar disso, o movimento no circo anda fraco. Sorte minha e azar dos leitores, mas há muito que não sou coadjuvante num espetáculo circense. O artista circense que tem se apresentado no meu picadeiro não faz espetáculos dignos de nota.

Mas como o espetáculo não pode parar, vou contando espetáculos das amigas, das leitoras e, novidade, dos palhacinhos! Sim, exibidos que são, esses meus palhacinhos queridos estão doidos por um holofote e têm feito de tudo pra aparecer, até mesmo confessar seus espetáculos favoritos. Sim, dileta audiência, eis que surge um nova seção no circo: “Eu, palhaço confesso”.

Para inaugurar a seção dos palhacinhos orgulhosos, guardei o relato de uma amigo meu, leitor e comentarista contumaz deste circo.


Palhaço confesso e exibido

O rapaz tinha uma amiga com quem certo dia rolou um clima. Sabe aquela máxima de que “eu não cmo meus amigos” ou “os amigos são reserva técnica? Pois é, eu também sou adepta, mas tudo na vida é negociável, né? Bom, a moça parece que era menos flexível e quando a chapa esquentou ela arregou: “entre a gente não dá pra rolar sexo”.

O bruto, daqueles que não leva desaforo pra casa, vingativo, bicho ruim, sabe? Pois é, não engoliu o sapo nem chupou a manga. Dissimulado, ficou puto, mas fingiu que compreendia. Ficou trabalhando a moça por mais de um ano, ali, trabalho firme, fazendo de amigo e seduzindo. Até que um dia logrou êxito. Tão lá no maior amasso na casa dela, os dois já pelados na cama, ele virou de repente e mandou "Ach que entre a gente não rola sexo", pegou a roupa e saiu correndo, vestidod calça enquanto saía pela porta e calçando sapato escada abaixo. Segundo palavras do próprio, deixou ela lápegando fogo sem entender nada.

Pois é, amigos deste circo, no lugar de aproveitar que finalmente a moça capitulou e esmerilhar, já que ele tinha tesão nela há séculos, o que o palhaço fez? Trocou uma possível boa foda por uma vingança. Que graça tem vigança, minha gente? Gozar, principalmente acompanhado, não é muito melhor? Não era melhor vingança comer muito a moça pra ela se arrepender do tempo perdido?

Ai, ai, ai. Como eu sempre digo, quem gosta de sexo é mulher, homem gosta é de ficar de amasso e sair correndo pra tocar punheta em casa. Claro, depois conta pros amigos que fez e aconteceu, se bobear, até narra o espetáculo no HTP. Tudo palhaço....

2 comentários:

Beto disse...

essa foi dificil de ler [e engolir].
existe palhaço dessa estirpe?
voi a mi matar...ou devo denunciar ao sindicato de palhaços?

lariluz disse...

Gostei do encerramento ("quem gosta de sexo é mulher (...)")