Páginas

domingo, 2 de janeiro de 2011

Edição especial - Espetáculos de Réveillon

I.
Namorava o capataz já há mais de quatro anos e tínhamos fechado nossa viagem de réveillon com mais 15 amigos dele para o litoral catarinense. Nesse meio tempo, terminamos. Ainda continuamos em contato, telefonemas, nada de mais. Resolvemos que iríamos embarcar na viagem de Réveillon, afinal já tava paga e era uma mega oportunidade de conhecer várias praias que dizem por aí serem lindas. Fechamos o acordo: iríamos viajar como solteiros. Por mim, ótemo! Não conhecíamos toda a trupe (que eram amigos do amigo do amigo... sabe como é), então eles também não sabiam da nossa (ex) ligação.

Um dos camaradas era um monumento absurdo de lindo e vejam só... desde o primeiro minuto ficou dando em cima de mim direto. Correspondi, afinal, não iria ficar com meu ex e, inclusive, ele não queria nem que os outros soubessem que já tivemos algo. Ele queria curtir (também). Ok!

Não é que o palhaço do ex sacou as investidas do Apolo e começou a marcar o campo? PQP.

Numa night, dia 30, nem todos os caras quiseram entrar na disco, então a maioria ficou do lado de fora bebericando, incluindo o palhaço ex. O Apolo entrou e lá fui eu também. Claaaro que lá dentro ele me agarrou, tava óóótemo... até que de repente chega a outra menina do grupo, me cutuca "cara, o palhaço ficou sabendo que você tá aqui dentro com o Apolo e tá vindo tirar satisfações, irritadíssimo" - nisso o monumento não entendeu nada "pera, pq ele tá puto? Vocês são namorados? O que tá acontecendo???" - ah, irmão... nisso mixou tudo, né...

No dia seguinte, nas 12 badaladas, em plena Camboriú, o Apolo bem que queria me tascar um beijo de "Feliz Ano Novo", mas eis que o palhaço começou a rosnar. É ou não é palhaço? (claro que esperneei, gritei, briguei... mas palhaço ciumento não é palhaço morto... PQP)

Beijos e feliz ano novo de NY!


Leitora I.K.


II.
Fui passar o Réveillon numa casa de festas aqui em Belo Horizonte com o palhacinho que assino carteira há um ano e meio, e com a gente foi um amigo dele com a namorada. Pessoal bacana que eu não conhecia ainda.

Festa muito boa, regada a muita bebida. Nos divertimos muito! Até o momento que meu querido palhaço disse que ia ao banheiro e pediu para que eu lhe acompanhasse. Fui e fiquei esperando na porta. Ele saiu de lá com o amigo, os dois morrendo de rir. Então tá, né? Daí eis que passaram por duas meninas e o meu querido palhaço parou uma e falou alguma coisa no ouvido da moça! Cheguei na hora já questionando o que significava aquilo que estava presenciando! Fui obrigada a escutar que era "coisa de homem, nada de mais! não estava fazendo nada de errado!".

Com uma explicação dessas a única coisa que fiz foi dar meia volta e passear pelo lugar, pegar bebida do outro lado, bem pertinho do palco, e sumir por mais ou menos uma hora! E ele desesperado ligando, mandando mensagem!


Leitora E.A.


III.
Quem conta é a irmã do palhaço, por sinal de 40 anos e morando com a mamãe e a irmã. O artista circense chegou em casa e avisou "meninas (mamãe e maninha), conheci uma pessoa em agosto, estou gostando muito dela e vou trazê-la hoje à noite para conhecer vocês".

A irmã do palhaço, indignada reclamou: será que tu esqueceu que está noivo de outra? Que ela teve que brigar com toda a família porque queria ficar contigo e eles não gostavam de ti? Eu não quero conhecer a tua amante.

Indiferente aos padrões morais da irmã, o palhaço garantiu "vou resolver isso hoje", pegou o telefone e ligou para a noiva: "conheci outra pessoa em agosto e vou ficar com ela, adeus". (quanto tato, hein?)

A despeito da negativa da família, o bruto chegou com a namorada nova e disse "a fulaninha trouxe algo para nossa ceia de Ano Novo". Era dia 29 de dezembro e a nova empregadora do bruto era fazendeira do interior do RS. Sim, ela chegou com um porco, um porco inteirinho (morto, obviamente, mas inteirinho!). Detalhe, a irmã e a mãe são vegetarianas e o palhaço cheio de tato não foi capaz de avisar a namorada.


Leitora J.N.

20 comentários:

Elisa disse...

Palhaços inspirados viu... pqp!

Hadassah disse...

Eh, parece q eles ficam mais entusiasmados em epocas especiais, ne, nao? A verdade q eu tenho ainda outras historias de festividades... q eles sejam assim criativos com cousas boas tb, faca-me o favor... vida q segue.

Anônimo disse...

Não gostei do tom "fazendeira do interior do RS", me pareceu preconceito com gaúchos e gaúchas!

Janaina Rochido disse...

Meldels do céu na palhaçada número II, hein? Só Jesus mesmo...

Bia disse...

tem homem que merece 20 chutes no saco e 12 mordidas no piru....

porra!!!

Sheila Taniguchi disse...

Todas as histórias são muito tristes, rsrsrs. Mas o palhaço ciumento eu odeio!!! É o tipo que merece os cornos e depois não aguenta o peso da cabeça, ôh raiva! Detesto empata f#@...

Laurinha (Mulher modernex) disse...

Quando leio sobre essas palhaçadas não sei se rio ou choro.
Fala sério, ex ficar marcando território porque a ex se arranjou e ele não, namorado com essa desculpa da "coisa de homem" e palhaço sem a menor consideração pra terminar com a ex noiva... aff... e depois ainda reclamam quando a mulherada dá o troco...

Rosália disse...

Não concordo com o comentário do anônimo acima de que a postagem sobre o noivo sem tato é preconceituosa. Acho que a explicação de quem seria a nova namorada tem ênfase na palavra "fazendeira". Acho que a mudança abrupta de amores do palhação em questão é por puro interesse. Não relutou nem um pouquinho em "despachar" a noiva porque queria mesmo era dar o golpe do baú.Infelizmente nop mundo há muita gente que acha que o dinheiro e o status são mais importantes que o amor verdadeiro.
(Depois dizem que as mulheres é que são interesseiras!)

Beatriz Pinheiro disse...

Sabe o que é fogo? só resolve tomar atitude quando outro plahaço já está tomando conta do picadeiro.
Vamos combinar que ele merecia um fora bem dado e com todo mundo ouvindo que ele não atuava mais naquele circo!

Mariana OLiveira disse...

Inspiradíssimos esses palhacinhos!!!
Agora esse último tá de sacanage!!

Léa disse...

Porra que palhaçada essa número III. Kralho...o cara não é só palhaço não, é um imbecil.

Fernando disse...

O palhaço I é um imbecil, que palhaço que é palhaço e pede demissão não cumpre aviso prévio e já estaria atuando em outro circo.
Na número II a moça é tonta querendo ouvir explicações do cara bêbado numa noite de reveillon na porta do banheiro.
O número III é psicopata, não tem sentimento nenhum.

Gabriela disse...

Já vi esse filme da palhaçada número I. Não aconteceu comigo, mas com uma amiga, e o palhaço conseguiu azedar o Reveillon de todo mundo.

Guto Jimenez disse...

Ex ciumento, fanfarrão sonso e jece de 40 anos?! Fala sério, isso aí é mto século 20! Esses caras são a escória e a vergonha da espécie humana masculina... TUDO PALHAÇO!

Taciane disse...

DEEEEUS!
Eu sou vegetariana, se isso me acontece é o fim! Mando embora os dois!

Flávio disse...

O I e III são doentes mesmo. O III, então, é destituído de qualquer senso de humanidade. Deve ser um torturador. Já o II é o efeito do álcool mesmo.

lariluz disse...

E as palhaçadas não param...

iulianalirio disse...

Pensei q essas palhacadas so aconteciam comigo!

AKELAS disse...

O CASO I: É DISCUTIVEL PQ O QUE É PIOR PALHAÇO EMPATA FO*** OU PALHAÇO QUE PASSA VONTADE COM MEDO DO OUTRO PALHAÇO HEIN?AFF
DO CASO II ;É PALHAÇAAAAAAAA!TENDEU ? JA VIU PALHAÇO HETERO IR AO BAHEIRO COM OUTRO E SAIR TODO PIMPÃO?!É ENTAUM....
A PALHAÇA SAMBOU NA SUA CARA ...AINDA BEM QUE VC AAAAA DEMITIU!
CASO III:KDE O GOVERNO KI NÃO PRENDE ESSE PSICOPATA PALHAÇO???

Abusado >:-) disse...

qtos chutes eu mereço? 19, 20 ou 21?