Páginas

segunda-feira, 29 de janeiro de 2007

Espetáculo triplo

Lembram daquela roda de samba onde encontrei o palhaço que queria arrancar minha tatuagem a dentadas? Naquela mesma noite uma amiga minha também conheceu um artista circense de notável talento.

Eu soube que ela estava lá, mas não nos encontramos. No dia seguinte ela me ligou pra contar que, quando tava indo falar comigo, conheceu um carinha muito gatinho. Ficaram. O brutinho era legal, divertido, gostoso e tinha pegada. Ela, tola, pensou “Oba, vou pagar umas prestações do meu carnê do Baú da Felicidade, que já tá atrasado mesmo”. Alguns beijos, amassos e cervejas mais tarde foram pro motel. Palco perfeito para o espetáculo.

Eis que tão lá, a chapa quentíssima e... o bruto (literalmente) arranca a calcinha da moça! Rasgou a calcinha! Bom, eu não levo a sério esse tipo de pantomima, mas ela achou que era hoje que ia esmerilhar. Toda animada com a boa sorte inesperada, ela partiu pro ataque também, pra dar continuidade aos trabalhos. Humpf.

O palhaço não queria colocar a camisinha. Como assim? Ele diz que não usa camisinha. Como assim? Ela diz que sem camisinha não vai rolar, ele diz que com camisinha não vai rolar. Ficam nesse impasse, minha amiga começando a se irritar avisa que ou coloca a camisinha ou ela coloca a roupa e vai embora. Como viu que não ia ter jeito, o palhaço colocou a camisinha. Broxou. Minha amiga disse que ainda se esforçou, mas nada. O bruto tava totalmente fora de combate.

Se em pleno ano de 2007 alguém querer transar sem camisinha com alguém que acabou de conhecer já seria palhaçada suficiente. Não contente, o palhaço anima a moça, deixa a chapa esquentar e na hora de quebrar o barraco broxa? Minha amiga não merecia isso. Muito puta da vida, a moça pediu satisfações. Que negócio é esse? Que propaganda enganosa é essa? Como é que você me faz deixar minhas amigas, vir pra cá, me dar ao trabalho de tirar a roupa e vou voltar pra casa invicta, que porra é essa? Na maior desfaçatez o palhaço confessa: é que estou acostumado a transar sem camisinha com a minha namorada.

1 comentários:

Pedro disse...

Tanto faz: machismo e feminismo. Todos estúpidos preconceitos da sociedade.