Páginas

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Palhaços mentem mais. Mas nós mentimos melhor!

Um repórti queria a nossa opinião sobre a pesquisa britânica que diz que homens mentem mais que mulheres. Entretanto, dado ao adiantado da hora, a matéria foi pro pau sem que ele conseguisse fazer contato conosco. Mas já que ele perguntou, agora eu vou dizer. Eu acho que os homens podem até mentir mais, mas sem dúvida as mulheres mentem melhor! Ou vai me dizer que uma mulher ia sumir por três dias e depois dizer pro peguete que sumiu porque ficou presa em um curso de imersão no trabalho? Já viu alguma mulher dizer que não pôde encontrar o ficante numa sexta à noite porque estava internada e não quis atender ao telefone só para não deixá-lo preocupado? Não, respeitável público, uma mulher sairia destas situações com desculpas muito mais verossímeis.

E antes que digam que estou puxando a sardinha pro nosso lado, adianto que isto também é apontado pela pesquisa: 55% dos britânicos entrevistados acham que as mulheres contam mentiras melhores, embora mintam menos.

4 comentários:

Mari Proença disse...

Ainda bem que somos mentirosas mais espertas que eles, já pensou se além de metiram à beça os palhaços soubessem mentir bem? Estariamos perdidas! rs

vanessa lopes disse...

É como se diz, mulher quando é ruim, é ótima!

Anônimo disse...

¨55% dos britânicos entrevistados acham que as mulheres contam mentiras melhores, embora mintam menos¨. Eles que acham, se as mulheres mentem melhor significa que elas podem estar mentindo mais, só que nós não descobrimos por exatamente elas mentirem melhor... olho aberto rs

Silvinha disse...

Sem falar no fato de sustentarmos com louvor até o final. Já homens... botou uma pressãozinha de nada, do tipo eu sei que você está mentindo e vou te desmascarar, e pimba, confissão no ato. Seguido de choro e ranger de dentes com pedidos de perdão, que foi uma fraqueza, bla bla bla, whiskas sachê sabor atum. Enfim... palhaços.
Deve ser por isso que desde a mais tenra idade eu sempre detestei circo, principalmente o número dos palhaços absurdamente sem graça.