Páginas

segunda-feira, 30 de maio de 2011

A saga continua

Já que estamos em clima festivo por conta do Dia dos Namorados vou lembrar a vocês a história do palhacinho que deu para namorada uma camisola de algodão com cisnes desenhados. Lembram? A moça fazia aniversário, data cheia. Salvo engano, cinquentinha. Ganhou do palhacinho uma camisola simples, estilo malharia Mena, rosinha e branca, com dois cisnes na frente que formavam um coração. A história é tão boa que foi parar no livro. 

Dez anos depois ela me escreve para contar que nos sessenta ele foi melhor .. deu nada. É. Nada. No melhor estilo "é .. não sei dar presente...la la la..". Tudo bem que eles estão viajando pela Europa. Talvez ele ache que sua simples companhia seja o suficiente para tornar a data especial. Ainda assim acho que valeria um mimo da parte dele, né? Quem sabe até outra camisola para fazer par com a de cisnes. Mãos vazias acho um pouco demais.

Fato é que a moça já me contou rindo, perguntando seu eu acreditava. Claro que acredito! A empresária circense é que não devia se espantar. Ainda no quesito presente, lembro que certa vez, já há alguns anos, a mãe de uma amiga minha contando durante um almoço que ganhou de presente de casamento o livro "Sebastiana Quebra Galhos". Isso mesmo. Um livro com dicas para tirar aquela mancha de ketchup, de como salvar uma blusa queimada. Ela tinha comprado um relógio lindo para o marido e recebeu de volta esse "toque" do palhaço de carteira assinada .. Não foi singelo? 

10 comentários:

Marcela disse...

kkkkkkk
lembro de um casal amigo - ela deu-lhe um cupom para uma noite em um motel, ele lhe deu uma batedeira nova...

Edlamir - S2 crochê disse...

Vôte! hehehe
Ainda bem que o meu palhacinho ainda não ta assim... Mto medo de depois que assinar carteira. =S

Fernando disse...

Quem namora, tem alguém, casado, não precisa de um dia apelativo comercial para presentear como uma obrigação. A surpresa do presente perde a graça com data marcada, me incomoda essa exigência de fazer as coisas seguindo a manada social.

vannybraga disse...

Hummmmmmmmmmm Fernando... Não sei se concordo contigo!!!!
Seria esta uma desculpa esfarrapada ou um bom argumento???
Pra mim, seria um bom argumento se este homem que diz q não apela para datas comerciais e se recusa a me dar presentes em natal, ano-novo, dia dos namorados, só aceito a desculpa caso o bofe me presenteie numa tarde de terça-feira do me de setembro por exemplo...

Anônimo disse...

Quem namora, tem alguém, casado, não precisa de um dia apelativo comercial para presentear como uma obrigação. A surpresa do presente perde a graça com data marcada, me incomoda essa exigência de fazer as coisas seguindo a manada social. [2] (MUITO BEM COLOCADO)

Anônimo disse...

Gente como homem é engraçado né???? Vem com esse papinho "essas datas são só comercias, que dia dos namorados é todo dia" vai dar meia hora de bunda rapaz, isso é desculpa pra não presentear quem esta com você......um dia eu ganhei do meu noivo um bolero rosa com um monte de bolinhas douradas!!!! eu quase tive um infarto rsrsrsrs (não foi ele que escolheu foi minha cunhada que por sinal me odeia)

Mila disse...

Home não saber dar presente é fato. Bem melhor dar dinheiro. Claro que companhia dele não tá com essa bola toda, mas uma viagem pega bem, ainda mais ele pagando a conta.

Flávio disse...

Sobra homem não saber dar presente há exceções. Eu me incluo no rol das exceções. Presentear mulher acho a coisa mais fácil do mundo, sobretudo se ela estiver em sincronia com a moda. Basta um mínimo de observação em jornais, revistas e na rua. E outra, se não souber comprar roupa legal, basta uma bolsa de grife, uma sandális de grife ou uma jóia, que não precisa ser cara. Lojas de grife (Cantão, Shop 126, Arezzo,Victor Hugo, para elencar as mais baratas, leia-se, sem sofisticação internacional) raramente possuem algo fora do gosto da mulher média. As próprias vendedoras te ajudam. Tive várias namoradas e sempre dei roupa, bolsa ou sandálias destas marcas e de outras equivalentes e nunca decepcionei (pelo menos foi a impressão que tive, confirmada depois pelo uso contínuo do presente)

Anônimo disse...

Mas e quando você, em situação financeira nada favorável, mesmo assim com o intuito de agradar, compra [se endivida com] aquele presentinho que ele com certeza vai adorar, e recebe um "vou logo avisando que não vou levar presente pra você"? No meu caso, a saída é pedir que ele pelo menos me dê algo que, em tempo juntos, ele nunca me deu: um orgasmo.

Anônimo disse...

tenho pena não. 10 anos depois, permanece com o plhaço.