Páginas

quarta-feira, 2 de abril de 2008

Eu, leitora

Palhaço cristão e aprendiz de malabarista

Há uns tempos atrás conheci na Internet um palhacinho. Era bem bonitinho fisicamente e cheio de falar que ia na igreja e tudo mais. Apesar de ser atéia convicta, caí no conto do Palhaço Certinho. Depois de muito tempo conversando, marcamos de nos conhecer. Ele veio pra minha cidade e ficou hospedado na casa da irmã dele que morava aqui. Saímos, ficamos, mas não chegamos a transar.

O namorico continuou via MSN. Eis que eu visito o Orkut do bruto e vejo uma "amiga" perguntando sobre sua viagem a casa de sua irmã. Eis que o bruto diz "Foi bom, melhor se vc estivesse lá". Engoli seco e cortei relações.

Poucos dias depois, ele deu um jeito de entrar em contato com uma amiga minha na época e implorar para que ela o ajudasse, que ele estava apaixonado por mim e etc etc. O sacana foi bem convincente e infernizou minha vida até eu dar uma segunda chance. A Dona de Circo ingênua aqui resolveu dar a porra da chance.

Os dias passam e o garotão, que não apagava seus recados no Orkut, mantém contato com trocentas mulheres. Quando eu questionava.... era louca, neurótica. Resolvi ficar só observando enquanto ele me fazia juras e juras. Percebendo que o ser realmente é um palhaço de primeira (e um palhaço burro, pois nem se dava o trabalho se esconder as cagadas) resolvi ver até onde ele poderia chegar...

Estava chegando o aniversário do palhaço e ele me convidou para ir comemorar com ele, seus amigos e pais. Eu, que já tava espertíssima, aceitei, mas já maquinando tudo. Conheci uma moça na balada (amiga da amiga...) e pedi pra ela dar em cima dele, me deixando a par de tudo (caso ela caísse no xaveco dele, por ser quase uma estranha, a decepção não seria tão grande). A moça vai jogando charme e pouco tempo depois o bruto cai e vai se deixando envolver, enquanto diz que vai me pedir em namoro na tal festa de aniversário.

Algum tempo depois eu digo que não poderia ir a tal festa de aniversário, enquanto a moça faz pressão pra conhecê-lo e literalmente dar pra ele. O puto fica todo "tristinho", mas subitamente chama a moça pra ir no tal aniversário. Fiquei fazendo essa joguinho de "eu não vou, agora eu vou" enquanto ele marcava e desmarcava com ela, todo atrapalhado.

Um belo dia, ironicamente, "reecontrei" essa minha amiga de longa data no Orkut, e fiquei sabendo das promessas que o tal palhaço havia feito a ela. Ó que surpresa!!! O puto nem desconfiou que era tudo armado e ainda ficou tentando consertar dizendo que tinha conhecido ela bem antes de mim, que era passado... mas quáááá...

Falei poucas e boas pra ele, do falso moralismo, além do recado gigantesco que minha amiga deixou, acabando com a raça do palhaço. O pior é que no final das contas, mesmo com todas as provas jogadas na cara dele, ele negou até o fim e disse que ainda iria se casar e seria muito feliz. Me arrependo até hoje de não ter falado "Cuidado pois um dia você pode chegar em casa e encontrar sua mulher rolando na cama comigo e um negão".

1 comentários:

Beto disse...

experimente um palhaço pagão, oras... }|D