Páginas

sábado, 19 de abril de 2008

Palhaço com auto-crítica

Outro dia cheguei numa festa e, enquanto pegava a primeira taça de champanhe, escaneei a sala pra identificar os conhecidos. Logo achei um amigo que não via há algum tempo. Fui falar com ele primeiro. Pelo jeito, ele já tava colocado, deve ter chegado cedo.

- Oie!
- Ah! Roberta Carvalho! Todo homem é babaca?
- Não, homem é tudo palhaço.
- Mas ser palhaço não é o pior. O que me choca é a incompetência. Nós homens somos incompetentes demais. Vocês precisam da gente tão pouco, somos requisitados apenas por alguns instantes e, mesmo nesses poucos instantes, conseguimos ser incompetentes, decepcionar, não dar conta do recado...

Êita, que auto-crítica a champanhota pode proporcionar, hein?

1 comentários:

Beto disse...

pode ser [por milagre] que ele tinha essa auto-crítica.
nós somos palhaços, mas não estamos cegos ao óbvio.