Páginas

sexta-feira, 10 de junho de 2011

História 33 - Palhaço rodada dupla

Namorava há mais ou menos uns 5 meses, mas já andava meio revoltada com as palhaçadas que o dito cujo andava aprontando. Até me assustei quando numa sexta-feira à tarde, Dia dos Namorados, chega uma entrega no meu trabalho um lindo buquê de rosas vermelhas com um cartão mais lindo ainda, seguido da ligação do palhaço safado: "Amor, hoje à noite vamos sair para jantar, você vai adorar".

Achei que o querendão tava se redimindo das palhaçadas anteriores. Fiquei feliz quando ele foi me buscar no trabalho e disse logo de cara "toma banho, se arruma logo que vamos sair para jantar". Achei cedo - ainda eram 5h - mas, muito educado, ele disse "não querida, não podemos nos atrasar, quero aproveitar a noite com você". A empresária circense aqui ficou louca, entrou no banho e se trocou rápido com o palhacinho, que na época era meu vizinho, na porta "vamos amor, vamos, anda logo". Nossa, ele me ama mesmo, que delícia - pensei. Ledo engano.

Chegando lá fomos uns dos primeiros a entrar, afinal 7h da noite não é hora de jantar. Fazia um frio terrível e nem deu tempo de colocar uma blusa mais grossa, porque o palhaço ficou me apavorando. Mas ok, jantar acontecendo, eu toda feliz e o palhaço muito estranho olhando o relógio de minuto em minuto, olhava por todos os lados e comia rápido. Menos de 40 minutos depois que chegamos o celular dele tocou.

- Amor preciso resolver uma coisa urgente do meu trabalho. Depois te vejo, come rápido!
- O que? tá doido? quero ficar com vc!
- Não amor, vamos que depois eu volto e fico com você, me espera lá em casa.

Engoli a comida pior que uma esfomeada, o jantar ficou até entalado na garganta. Morrendo de ódio, fui embora triste, chorando e xingando três gerações passadas e que ainda estão para nascer da família dele. O artista circense saiu dizendo que estaria em reunião e não poderia atender. Reunião à noite? oieeee, não sou besta, mas ok, vai palhaço, vai que faço de conta que acredito.

Fui ver TV enquanto esperava o bruto voltar da "reunião" e vi um comprovante da floricultura de R$ 300 em cima do sofá. Achei estranho/impossível um buquê de rosas custar tudo isso. Desconfiada, mandei uma mensagem. O palhaço me liga na mesma hora dizendo que comprou no cartão um buquê para um amigo dar pra namorada. Fiquei furiosa, desliguei meu celular e fui dormir na minha casa.

No dia seguinte, chego no trabalho e a primeira coisa que me vê pergunta "não sabia que você tinha trocado de namorado". Ainda não, mas tô querendo – pensei. Ela continuou "então, ontem vi seu ex com uma moça jantando em tal lugar era umas 10h da noite".

É ou não é um palhaço? Manda flores para duas ao mesmo tempo e o pior: leva as duas para jantar no mesmo restaurante! Além de palhaço, é burro mesmo!

13 comentários:

Francilene disse...

OMG!!!!!! PQP, esse não é palhaço nem burro, é canalha mesmo!

Anônimo disse...

Tai um palhaco que interpretou mal a cancao do Rei ("sou aquele amante a moda antiga/tipo que ainda manda flores") e quer ser Rei em dobro. Vai ver que o palhaco realmente gosta da experiencia buque-cartao-jantar. Ele pagou tudo isso para comer so uma sobremesa?!

Fernanda disse...

Esse Palhaço está fazendo escola pra ser malabarista. É a velha teoria dos pratinhos...mas, geralmente, esses tipos não são tão "românticos"...Na maorida das vezes, escolhe uma pra ser a matriz e comemora com a filia um dia antes (porque os restaurantes no dia 12 ficam lotados!) Bela desculpa, não ?

Anônimo disse...

ninja.

Dona Lô disse...

Putz! E se vc tivesse ficado esperando, que nem uma boba? Ele teria levado a outra prá casa, voltado lá, dado umazinha e saído de novo prá ir sarrar com a outra?
Ninguem merece...

Camila Chaves disse...

Cacete!! Esse é um belo FDP. Não dá nem pra comentar muita coisa!!!

Anônimo disse...

pelo menos ele poderia ter inventado o teletransporte ou usado de clones. Pena que era palhaco burro, sem grandes utilidades.

Priscila disse...

Ah bem esta história aconteceu comigo, ele era um belo de um cafageste mesmo!!! Foi a gota d'agua, mas fiquei sabendo de varias coisas que ele já andava aprontando.
Falta de criatividade, manda o cartão até mesmo igual para as duas!! ahahah p

Anônimo disse...

Moral (?) da história: quem não consegue administrar só uma não se meta a cuidar de várias.

Anônimo disse...

Merece o livro!!!

Anônimo disse...

Tambem voto nessa

Anônimo disse...

até agora...a melhor de todas as histórias. Palhaço-master!

Flávio disse...

Aprendiz de profissional. Até a empresária sacou qual era a do cara (reunião à noite???). Era pra ter terminado ali mesmo no restaurante. Mas, não quis reconhecer...